Como os cristãos devem interpretar o Antigo Testamento

Comentários acerca do texto do teólogo alemão Martim Lutero (1483-1546 d.C.): “Instrução sobre como os Cristãos devem lidar com Moisés”, debatido em aula sob a orientação do Prof. Dr. Mario F. Tessmann.

17
agosto, 2021

Cássio Wendland – estudante da FATEV

Conforme Lutero, houve duas pregações públicas de Deus, a primeira encontra-se no Livro do Êxodo, no capítulo 20; a segunda está no relato de Atos 2, na proclamação dos discípulos. A primeira é a lei de Deus, que está voltada para a nossa atuação, ela consiste em exigir. Já na segunda nos é apresentado o Evangelho (cujo significado é ‘boa notícia’), que aponta para aquilo que nos é concedido por Deus, a saber, a vida e obra de Jesus Cristo, não mais aquilo que devemos “fazer ou deixar de fazer, ele [o Evangelho] nada exige de nós”.

Acerca desta compreensão da interpretação de Moisés (e aqui subentende-se toda a Lei, e, por extensão, o Antigo Testamento), Lutero destaca que as exigências da lei veterotestamentária é de exclusividade para os judeus, de nada tem a ver com os gentios (aos quais nos encaixamos hoje). Como defende o teólogo alemão, ecoando as palavras de Paulo aos Gálatas (5:3): “Se acato Moisés em um mandamento, tenho que aceitar um Moisés inteiro.” Sendo assim: “não observaremos, nem aceitaremos Moisés. […] Seu governo findou quando veio Cristo, ele já não serve mais.”

Qual é, então, a necessidade de se conhecer, quanto mais pregar, acerca de Moisés/Lei/AT? Para Lutero surgem três utilidades para a reflexão em Moisés: um bom exemplo de governança, a apresentação das promessas de Deus a respeito de Cristo e belos exemplos de fé, amor e obediência a Deus.

Como primeira serventia de Moisés, conforme Lutero, está um referencial de gestão e governança do povo, onde as leis de administração e taxação financeira (p.ex. o dízimo e a venda de posses), assim como o manejo de heranças, seriam balizas que serviriam como orientação aos nossos governantes.

Atentando, então, para as leis, o teólogo alemão reflete acerca das leis morais (essencialmente o decálogo), onde se posiciona semelhantemente a Paulo, na epístola aos Romanos (2:13ss), ressaltando que “os gentios, os que não tem lei, tem-na inscrita em seu coração”. Por esse motivo, toda obediência que vá além da lei natural não provém de Moisés, mas sim de Jesus Cristo, o nosso Mestre.  De acordo com Lutero, “os Dez Mandamentos são um espelho da nossa vida, no qual enxergamos o que nos falta”.

Em Moisés (e, por extensão, todo o AT), também encontramos as promessas de Deus acerca do Messias, o Redentor, o nosso Salvador. Estas promessas não nos exigem coisa alguma, pois é o próprio Deus quem promete que seu Filho virá em carne, …, e podemos, assim, arraigar nossa fé, nossa coragem e esperança neste Evangelho, “em Jesus Cristo, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção, […].”

Consoante a estas promessas (ainda lidando com o AT) é crucial o discernimento entre as palavras que nos dizem respeito e as são direcionadas ao povo que Deus está falando. Lutero destaca a importância de não tomarmos como mandamento de Deus aquilo que não nos diz respeito (p.ex. a ordenança a Abraão do sacrifício de um filho), mas sim àquelas palavras que dão coragem e ousadia, nessas devemos confiar. Nossos mandamentos provêm de Cristo, “Moisés foi enviado aos judeus”, já aos discípulos de Jesus foi ordenada a “pregação [do Evangelho] a todas as criaturas”, e é aqui onde nós, os gentios, nos encontramos. A proclamação não é voltada apenas para o povo de Israel, mas passa a ser universal, onde “ninguém precisa duvidar de que o Evangelho deve ser pregado também a ele.”

Como terceiro, e último, aspecto a ser considerado em Moisés encontramos exemplos de confiança, obediência, integridade e restauração em Adão, Abel, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, …, homens que nos ensinam a confiar em Deus e amá-lo. Contrapondo estas referências também encontraremos exemplos de incredulidade, que recebem a ira e castigo de Deus, nos mostrando, assim, como não devemos agir. Nas palavras do reformador, “em nenhum outro lugar encontram-se tão belos exemplos de fé e de descrença como, justamente, nos livros de Moisés.”

Desta maneira, Lutero faz uma introdução de como encarar Moisés, a importância de “entendê-lo, como acolhê-lo e não descartá-lo totalmente”, para que aprendamos com os belos exemplos, nos apeguemos as promessas de Deus que apontam para Cristo e, se possível, retiramos boas balizas governamentais, para o nosso proveito. Pois, conforme Paulo a Timóteo (3:16s), “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”.

Mais do ME
FATEV participa de reunião em preparação para o EaD

FATEV participa de reunião em preparação para o EaD

A Direção da FATEV e a Coordenação do projeto EaD da instituição participaram de reunião com os consultores do Grupo Conquer na manhã do dia 13 de agosto de 2021. Na pauta de diálogo, detectaram-se e alinharam-se processos de decisão necessários para as próximas…

ler mais

Vestibular Teologia 2022

Estão abertas as inscrições para o Vestibular da FATEV do curso de teologia presencial para o ano de 2022. É um bacharelado em teologia com ênfase em missão urbana e reconhecido pelo MEC. O curso foi estruturado de tal modo que pode ser concluído num período entre quatro a quatro anos e meio….

FATEV participa de reunião em preparação para o EaD

A Direção da FATEV e a Coordenação do projeto EaD da instituição participaram de reunião com os consultores do Grupo Conquer na manhã do dia 13 de agosto de 2021. Na pauta de diálogo, detectaram-se e alinharam-se processos de decisão necessários para as próximas…

O Cristão e as Olimpíadas

Sem dúvida assistiremos a um dos maiores eventos esportivos do nosso tempo, as Olimpíadas realizadas em Tokyo, no Japão. Ali estarão presentes os melhores atletas do mundo contemporâneo, homens e mulheres que dedicam toda a sua vida ao esporte. Ao assistir à cerimônia de abertura dos Jogos…

O problema do raciocínio em esferas

Segundo o teólogo alemão Dietrich Bonhoeffer (1906-1945), a ideia grega de que a realidade é separada entre uma esfera espiritual e outra terrena influenciou o cristianismo de tal maneira que gerou o que ele chamou de ‘raciocínio em duas esferas’. Para ele, esta forma de pensar…

FATEV firma parceria para o EaD

As mais de três décadas de contribuição teológica da FATEV querem chegar ao universo da educação a distância, renovando e expandindo a vocação da escola.

Eu sou o melhor!

Cristiano Ronaldo é um dos grandes craques do futebol mundial. Vencedor de 5 bolas de ouro e 5 Champions League, o jogador de 36 anos ainda desperta o interesse dos principais clubes de futebol do planeta. O português ainda é um fenômeno nas redes sociais, sendo…

O bom samaritano e a sociedade

De acordo com a Palavra de Deus devemos amar nosso próximo e isto implica em acolhê-lo em suas necessidades. Isto foi claramente exemplificado por Jesus em uma de suas parábolas, a do bom samaritano (Lc 10:25-37). Nela Jesus explica que um homem descia…

De onde você tira o tempo?

15s de Stories, 1 min no Reels, um Clickbait, três linhas de uma manchete sensacionalista… Vivendo a vida em pedaços editados de uma realidade mentirosa! Um mundo que prega liberdade, mas te obriga a esconder quem você realmente é…

As grandes áreas da sociedade

Em 1975, Loren Cunningham, fundador da organização cristã Jovens Com Uma Missão (JOCUM), estava orando a Deus sobre o que deveria ser feito para que as nações pudessem conhecer a Deus. Na ocasião, ele recebeu uma lista com os seguintes nomes…

Até quando, Senhor?

Provavelmente, você já parou para se perguntar: “essa pandemia vai durar quanto tempo, Senhor?”, “o que ainda precisa e vai acontecer?”, “o que mais eu posso fazer para diminuir os impactos de tudo isto?”. São indagações recorrentes…

Laicidade e espiritualidade

“Mas, o Estado é Laico!”. Os que utilizam esta frase, quase sempre, pretendem desconsiderar qualquer tipo de argumentação considerada inoportuna ou ameaçadora à sua concepção de mundo secularizada. Estariam eles corretos?

O rei que tinha um rei

Salomão foi um dos reis mais ricos que a humanidade já teve. Filho de Davi, teve seu reinado marcado por muitas conquistas e por um grande tempo de prosperidade. Havia muita riqueza em seus domínios, a ponto da prata não valia nada…

O Cristão e as Olimpíadas

O Cristão e as Olimpíadas

Sem dúvida assistiremos a um dos maiores eventos esportivos do nosso tempo, as Olimpíadas realizadas em Tokyo, no Japão. Ali estarão presentes os melhores atletas do mundo contemporâneo, homens e mulheres que dedicam toda a sua vida ao esporte. Ao assistir à cerimônia de abertura dos Jogos…

ler mais

#VEMserFATEV

A nossa missão é capacitar homens e mulheres para o serviço da Igreja de Jesus Cristo no Mundo.

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.